sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Um homem que sofre







Em um mundo não tão distante, mas paradoxalmente tão perto habita um homem que sofre.
Mas que importa se este homem sofre, de quem é o problema senão dele mesmo?
Que tenho eu a ver com isso? Que tem qualquer pessoa a ver com isso que não o próprio homem que sofre?
E por que sofre?
Não sabe.

Apenas sabe que sofre a solidão de ser apenas mais um em meio a tanta gente
Sofre por se ver como alguém que facilmente pode ser deixado de lado em detrimento de outros, talvez mais interessantes que ele.
Sofre por não ser compreendido embora tudo o que faça seja tentar ser compreendido pelos outros.
Nem toda a sua ciência e seu conhecimento foi capaz de fazer com que ele deixasse de sofrer
Neste caso já dizia o Eclesiastes que o muito estudar é enfado da carne. Ele deveria saber disso.

Não sou eu o homem que sofre, mas talvez o conheça de algum lugar
Talvez ele me seja familiar no meio das inúmeras pessoas com quem convivo todo dia
Talvez homem seria um termo genérico, e representasse qualquer pessoa que sofra.

Mas de quem é o problema?
Hoje em dia, o problema é sempre individual, e se é assim, pra que vou querer gastar tempo me preocupando com problemas alheios?
Já tenho meus próprios problemas pra me preocupar. Não preciso de outros.
Curiosamente, nosso discurso sempre se vê permeado pela figura do outro.
Nas reuniões que participo sempre falam que devo amar o próximo, ajudar na caminhada daquele que está junto comigo, e até concordo com tais premissas, mas quão distante a coisa se torna quando requer a prática.

Na prática a teoria é outra.
Esta relação eu-outro acaba sempre por ficar no nível da superficialidade
Pra que almejar algo além da superficialidade? As coisas caminham melhor na superficialidade
No entanto, a relação da superficialidade não se constitui enquanto eu-outro, mas sempre eu-enquanto-eu-no-outro, e nisto reside um grande problema da sociedade atual.

Inúmeros “eus”, inúmeros “outros” sempre faltando o hífen que os uniria.
Mas pra que o hífen?
Talvez o hífen eliminaria o sofrimento do homem que sofre,
mas até lá,
Continuo conhecendo um homem que sofre sem saber porque.