sábado, 26 de dezembro de 2009




Noite escura, solidão sobre mim. Um momento pra mim mesmo, apenas na companhia de um notebook e um ventilador. Ouvindo Michael Bubblé enquanto as horas se vão. Agora são 21:00. A noite se vai lentamente enquanto nada além da solidão me acompanha.

Quem me dera se por um acaso estivesses aqui. Talvez se estivesses online. Talvez poderíamos conversar, poderíamos trocar algumas palavras, nos apresentar novamente, nos colocarmos novamente frente a frente de forma que nos víssemos e a partir daí teríamos uma noite agradável, mesmo diante de uma solidão física.

Pena que nem sempre as coisas acontecem como planejamos.

Não digo que seja ruim ficar sozinho. Aprecio momentos comigo mesmo, na solidão desse enorme apartamento, em uma cidade que não é a minha.

Um estranho sozinho.

Felizmente não sou tão estranho a mim mesmo. Pelo menos sei conversar comigo mesmo, embora várias vezes me pegue com dificuldades para lidar comigo.

Fico me fazendo perguntas das quais já sei as respostas, tentando puxar um assunto pra falar comigo mesmo, mas eu mesmo evito de me responder.

Acho que aprendi que não preciso preencher o silêncio.

Paradoxal as vezes como as coisas funcionam. Ontem, dia de natal, maravilhoso.

Muitas pessoas, família que amo reunida, várias pessoas que gosto presentes (nunca estão todas as pessoas que gostamos presentes), presentes maravilhosos, comida maravilhosa, enfim, uma típica festa de natal.

Hoje, cá estou sozinho e nenhuma pessoa além de mim mesmo, nenhum riso, nenhum diálogo interessante, apenas comendo "Sensações" e tomando suco valle de goiaba.

Mas há algo que continuou de ontem pra hoje. Estou feliz.

Sozinho aqui, mas feliz.

Paradoxal.