domingo, 1 de agosto de 2010

uma situação hipotética...







Por que ainda estou com você?

Por que insisto em algo que sei que não terá futuro algum?

Talvez um futuro próximo? um próximo passeio? um próximo show? um próximo almoço?

Mas não te vejo para o próximo ano, para a próxima fase, para a próxima decisão importante que tiver que fazer...

Como gostaria de ter encontrado a pessoa para quem não teria esse tipo de pensamento, esse tipo de dúvida. Ah como gostaria que talvez você fosse um pouco diferente para que fosse esta pessoa. Tudo seria tão mais fácil...

Mas nem sempre a vida é fácil, nem sempre nós somos fáceis. Na maioria das vezes a vida foge ao nosso controle, temos que tomar decisões que não queremos, precisamos agir, tomar uma decisão que mudará bastante a nossa vida.

Confesso que fujo desta decisão neste momento.

Fujo talvez pela covardia que tenho de me ver sozinho novamente, fujo pelo medo de ter que recomeçar as coisas, fujo porque não quero estar comigo por agora. Não me julgo tão boa companhia para mim mesmo.

Sempre estive com outras pessoas, sempre fui eu e mais uma pessoa, nunca fui apenas eu e eu mesmo. Nunca me tive como "alter-ego".

Talvez tenha medo de mim. Talvez tenha medo dos monstros que em mim habitam e com os quais nunca soube lidar, afinal, nunca lidei com eles...

Ah, mas um dia... um dia eu superarei este medo e te falarei que não dá mais pra ficarmos juntos, falarei que não podemos mais continuar algo que só funciona do seu jeito, falarei que não posso mais fingir que te aceito com seus defeitos quando na realidade não aceito.

Um dia abrirei mão da comodidade em prol da dignidade de ser eu mesmo, e nesse dia... ah neste dia... serei apenas eu e meus monstros, mas os enfrentarei feliz pois agora estarei comigo mesmo, na companhia que há muito tempo precisava ter e nunca tive.

Se estarei feliz? Não sei dizer, mas sei que é algo que cedo ou tarde precisaria fazer se quisesse agir como eu mesmo.

E defintivamente, eu preciso ser eu mesmo.