segunda-feira, 6 de junho de 2011

Uma busca...







Na busca de uma palavra que dissesse exatamente o que gostaria de dizer não encontrei nenhuma e por causa disso tive que usar tantas outras pra tentar expressar algo que apenas uma palavra exprimiria.
Claro que não conseguirei dizer o que aquela palavra diria, mesmo porque apenas aquela palavra é capaz de dizer o que não consigo dizer com inúmeras palavras.
Se algum dia achar tal palavra talvez pare de escrever e ficaria só repetindo tal palavra, afinal, o que seria todas as outras quando se acha exatamente aquela que tipifica o mais essencial das coisas que se querem dizer?
Mas, e se houver uma palavra pra cada momento da vida que diria exatamente o que gostaríamos naquele momento, mas não existisse a palavra que diz todas as coisas em todos os momentos? Será que mesmo assim procuraríamos a união das palavras em torno daquela única palavra?
“Diga uma palavra e ficará curada” - Disse certa vez um oficial ao Cristo. Aquela palavra foi dita e a cura se instaurou. Uma palavra se fez carne e todo o mundo foi mudado. Uma palavra.
Talvez seja esta a palavra que busco. A palavra que cura os enfermos, liberta os cativos, palavra que vinda ao mundo iluminaria a todo homem. Talvez a palavra seja o que todos buscamos de uma forma de outra. Talvez um verbo. Verbo que indicaria ação diante do mundo na tentativa de transformá-lo em algo além do que mero palco de espetáculos.
Palavra que quando dita explicitaria tudo de forma clara e distinta, orgulho cartesiano por excelencia.
Enquanto não encontro tal palavra, vario eideticamente em torno desse algo, que ao contrário do fenomeno russeliano, não se mostra a não ser por meio de verbos de ação no mundo.
Não consegui expressar o que queria, afinal, não encontrei a tal palavra ainda, e fico com meu ceticismo pra saber, se quando achar, saberei expressar a única palavra que procuro.