terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

planetas...







Sempre gostei de pensar em planetas. Como já disse outras vezes, adoro o universo, o espaço, estrelas, essas coisas astronômicas. Acho tudo isso muito legal.

Sempre achei os planetas corpos interessantes. Eles mantém suas trajetórias elípticas ao redor de uma estrela, passam anos e anos no mesmo movimento, sempre ora se aproximando, ora se afastando da tal estrela.

Da mesma forma que eles se afastam e aproximam da estrela que os mantém orbitando ao seu redor, eles também se aproximam e afastam dos outros planetas à medida que suas órbitas estão sendo feitas. Os planetas mais distantes entre si, em alguma hora estarão mais perto um do outro. No entanto, em algum momento eles se afastarão também para cumprirem sua trajetória.

Sugiro que aprendamos algo com os planetas e com seu movimento. Os mundos as vezes estão perto, quase se esbarrando entre si, outras vezes estão tão distantes que nem mesmo percebemos que ainda estão lá. Não que algo mudou, apenas o seu lugar em sua trajetória o faz ficar distante.

No entanto, ele voltará para perto. A distância é apenas uma fase necessária dentro do trajeto que ele se vê obrigado a fazer.

É importante lembrar que assim como o outro, nós também somos planetas, nós também nos afastamos e saímos das vistas dos nossos vizinhos. Não que algo em nós mudou, mas tal afastamento às vezes é necessário para se manter o equilíbrio dentro do sistema.

Claro que há diferença entre nós e os planetas. Nós não estamos "condenados" a realizarmos trajetórias elípticas. Podemos fazer quaisquer trajetórias, mas é bom sabermos que assim como os planetas, alguns mundos se afastarão de nós, mas também voltarão para perto quando tiverem completado tal caminho que se fez necessário.

Exercício de suposta paciência, e esperança...

Linda dança entre os diversos mundos que habitam esse vasto universo que habitamos.