segunda-feira, 12 de abril de 2010

Algo sobre o ócio...






Recentemente venho pensando sobre o ócio.

Realmente as pessoas, pelo menos várias delas, sentem um enorme desconforto diante do ócio. Elas simplesmente não conseguem viver com ele. Sentem-se incomodadas com a falta de "algo para fazer"

Os negócios (negação do ócio) tomam conta da vida dessas pessoas. Elas sempre precisam ter algo pra fazer para se sentirem bem.

As horas não passam se falta algo para elas fazerem.


Em nome dos negócios, arrumam várias atividades durante a semana. De domingo a domingo precisam de uma atividade. Talvez haja algo no vazio que as incomodem. Talvez seja o fato de que, no ócio, não resta nada além de si e os pensamentos, e talvez isso seja insuportável para essas pessoas.


Eu tenho que confessar que aprendi a viver com o ócio e, no ócio. Ele não me incomoda. Nos tornamos bons amigos. Quando estou com ele consigo prestar atenção em coisas que, em meio aos inúmeros "negócios" dessa vida corrida não conseguiria.

Isso aprendi com o tempo. Não foi de uma hora pra outra. As empresas onde trabalhei cooperaram para que eu pudesse aprender a viver com o ócio, e melhor, viver bem com ele.


Costumo dizer que viver bem com o ócio é uma arte. A arte de não ter o que fazer e poder se sentir bem com isso é algo que leva tempo, mas quando se aprende, os pequenos momentos acabam se transformando em longas horas de boa reflexão.


Sêneca, filósofo helenista tem um texto maravilhoso sobre o ócio. Ele nos ensina o famoso "ócio produtivo" que para ele, é a filosofia.


Penso parecido, mas acho que a filosofia é uma das alternativas possíveis para o ócio ser considerado produtivo.

Acho que o mais importante é sabermos conviver com a falta do que fazer, não ficarmos sempre procurando algo para preencher nosso tempo, aproveitarmos os momentos de ócio para refletirmos sobre a vida, sobre o mundo, sobre nossas relações, sobre nós mesmos. Acho que assim, teremos uma vida melhor.


Por que não abandonarmos os inúmeros "negócios" e tentarmos aproveitar o ócio em prol de uma vida melhor e mais bem vivida ?


Sugiro que aprendamos a viver no ócio, e isso, por incrível que pareça, só aprende praticando.


Sugiro como Sêneca que pratiquemos o ócio, mas não qualquer ócio, e sim o produtivo, aquele que nos faz pensarmos sobre as coisas, refletirmos sobre nossas vidas, nossas ações etc, etc, etc...


Fica aí uma sugestão.