quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Sonhos...








Mundos periféricos habitados por inúmeras pessoas...

Ah, entre elas, habita talvez a mais interessante
Nada de especial, apenas talvez um mero olhar
Olhar revelador para quem sabe ler
Que oculta para os que não sabem.

Sua vida não tem nada de especial
É apenas mais uma dentre tantas outras
Vida talvez comum, mas cheia de esplendor e sonhos

Sonhos que são sempre especiais para quem sonha.

Mas quem não tem sonhos?
sonhos que vêm, vão, se realizam, nos revela

Eles antes vistos como presságio dos deuses
Agora visto como revelação nossa a nós mesmos
Desmitificação freudiana em um terreno pouco habitado até então.

Sonhos,
Aquilo que nos move, que nos instiga a prosseguir
na tentativa que eles virem outro tipo de realidade.

Sonhos,
Manifestação do desejo inconsciente que habita nossas profundezas
Sempre presente, mesmo quando irrealizável
Mesmo quando realizável

Desejo de desejo
Desejo de vazio

A partir deles tentamos criar um mundo que nos dará esperança
Esperança esta, nascida do sonho,
Nascido de dentro de nós para que talvez possa transformar as coisas fora de nós.

Sonhos...