domingo, 13 de janeiro de 2013

Dissimulando...






Sim, eles sabiam que algo não estava bem. Que o passado tão belo de cumplicidade, compartilhamento, risos e esperanças já não mais existia, ou se existia já não era nem de longe o que costumava ser. No entanto, eles fingiam que nada acontecia. Levavam a vida como qualquer outro casal. Na monotonia do dia-a-dia vivendo seu compromisso já sem muito sentido.

As conversas antes tão profícuas foram substituítas por mensagens de celular. Eles tiham amigos mais interessantes no Whats app, no facebook, nos inúmeros jogos online que faziam com que os momentos juntos fossem facilmente transformados em mera presença física. A vida online se tornou mais interessante que a offline, e isso é sempre um perigo para a vida offline.

Tá certo, um precisava do outro, já tinham se acostumado com a presença do outro. Já fizeram muitas coisas juntos, não queriam perder também o resto da cumplicidade que tinham. Eles tinham bons momentos que às vezes compensavam, mas no geral a coisa não estava boa. O diálogo sobre a situação sempre era adiado, afinal ningúem queria tocar na ferida e revelar coisas não tão belas e amáveis assim. E por isso eles viviam como se nada estivesse acontecendo. Às vezes algo de ruim acontecia e exigia o apoio mútuo. Nestes momentos o amor reacendia, a cumplicidade reaparecia, mas era só a coisa resolver e tudo voltava a mesma monotonia de outrora.

Será que um relacionamento pode ser alimentado apenas por tragédias? Será que elas serão sempre necessárias para as coisas persistirem por mais 6 meses? E se for assim, o casal torcerá pelas tragédias? Quererá que elas aconteçam sempre? Faz muito pouco sentido.

Alguns momentos felizes desviavam a atenção para o que importava. Por isso eles sempre procuravam os momentos felizes capazes de dissimular aquela situação.

"Quem sabe se repetirmos ad infinitum pequenos momentos felizes não faremos nossos problemas mais sérios desaparecerem?" - Eles pensavam -

Obviamente, ambos sabiam que isso não funcionaria, eles sabiam que o seu destino, se nada fosse feito, seria a dissolução daquilo que parecia tão sólido. Apenas os amigos mais próximos sabiam disso, mas nem estes amigos se atreviam a tocar no problema, afinal a ignorância demonstrada pelo casal dava um ar de esperança para os próximos, e os próximos gostariam que eles permanecessem juntos mesmos sabendo que o fim provavelmente já estava a caminho.

Ah vida infeliz daquele casal !