sexta-feira, 15 de maio de 2009

26 anos dançando

Depois de amanhã é meu aniversário. Na minha opinião é a segunda melhor festa do ano. Só perde para o Natal.

Adoro meu aniversário. Ao contrário de muitos, vejo nesse dia um momento pra pensar na vida, refletir sobre novos alvos, aproveitar, sair, comer coisas legais... sei lá... é realmente um dia de festa pra mim.

São agora 26 anos de existencia nesse mundo. Me sinto feliz com o que já vivi. Digo vivi e não "alcancei" porque acho que essa idéia de "alcançar algo", já pressupõe um estilo de vida pautado por adquirir coisas. (ideologia essa marcante hoje em nosso mundo.). Não penso que tenha que alcançar algo. Tenho que viver... Se alcançar, tudo bem. Se não? Tudo bem também.

Acho que pautar a vida por dinheiro, bens, viagens, não faz sentido. Acredito que a vida seja um valor em si mesmo. Usá-la em funçao de algo, é usá-la como meio... Penso que isso não faz sentido.

Nesse mundo de hoje, o pensamento é outro. Tenho que alcançar o sucesso, o dinheiro, tenho que viajar, tenho que fazer isso ou aquilo... Sempre um "tenho que" nos assombrando...

Mas então quer dizer que não quero fazer nada? Não é isso. Quero viver. Viver tendo como valor a vida, e não o que ela pode me dar. Viver não visando sempre um futuro. Mas viver em conformidade com a vida. Como já dizia Nietzsche. A vida dança descalça, enquanto que a morte anda em marcha. Sabemos que a marcha é aquela coisa disciplinada. Visando obedecer a ordem do superior, visando alcançar algo no fim.. Geralmente a vitória. Semear no presente para colher no futuro... Justificação pelas obras.

Engraçado que, quem dita o que seja o "vitorioso" é sempre aquele que está no poder. Como nosso mundo é dominado pelo "dinheiro", o "vitorioso" é aquele que tem dinheiro, que pode viajar, que pode fazer seus cursos etc... Pena que várias vezes, esses "vitoriosos" perdem o mais importante que é a vida.

Jesus disse algo sobre dois senhores. Deus ou dinheiro. Deus é vida. em nome do outro senhor, negamos o primeiro. Como Jesus mesmo disse. É impossível servir aos dois. Ou se busca o dinheiro com toda a sua alma, força e entendimento, ou a vida.. (Eu sou o caminho, a verdade e a vida)... A maioria procura o dinheiro. Pena perderem a vida enquanto isso.

A dança já é outra coisa. Dançar significa ser livre. Quando se dança, se faz despreocupadamente. Dançar descalço é ato de fé. é viver de acordo com a melodia. Justificação pela graça. É não tentar colocar a música em função da dança, mas a dança em função da vida. Para dançar é preciso estar solto. É preciso ouvir a música. ( A fé vem pelo ouvir)... No meu caso, a música vem de um Reino que está aqui, mas ainda não... A música vem de um futuro que está sendo construído. Quero dançar mais vários anos. Quero ouvir essa melodia, deixa-la me embalar em seu ritimo. Quero dançar com pés descalços.

Não. não quero os pratos de lentilhas oferecidos por esse sistema, que me dão prazeres passageiros, mas sempre no frenesi de estar em busca de um outro algo. Quero ser embalado pela melodia suave do reino. Quero dançar descalço. Vida como fruição. Prazeres reais.

Doce vida essa. ah ! Esperança de poder viver vários anos dançando...

Penso estar dançando há 26 anos agora. Quero continuar essa dança. Se não for assim, posso dizer igual o Eclesiastes. Inutilidade de inutilidade. Tudo é inutilidade (Ec. 1.1)...