quinta-feira, 14 de maio de 2009

eu quero uma igreja fria



Eu quero uma igreja fria

Apocalipse 3:15 nos diz: Conheço as suas obras, sei que não és nem frio nem quente. Melhor seria que fosses frio ou quente! Assim, porque és morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.

Algo interessante neste texto é que Deus não critica a igreja fria. Ele critica uma igreja morna. A igreja morna é aquela que não é fria nem quente, é aquela que não possui uma identidade, e como tal não sabe definir seu “estado”.
Se pararmos para analisar os estados da matéria, veremos que no estado sólido (o que corresponderia ao frio), as moléculas estão todas unidas e aproximadas umas das outras sendo portanto difícil de se quebrar essas ligações.
No estado gasoso (que corresponderia ao quente), o que acontece com as moléculas é completamente o oposto. Elas estão muito agitadas, indo de um lado para o outro, aumentando o seu volume muito rápido, no entanto as moléculas mal se encontram e muito menos se ligam entre si.
Como sabemos, o gás se propaga muito rápido. Isso devido ao fato das moléculas estarem super aquecidas portanto, mais afastadas.
Não sei o porquê hoje se faz o culto à igreja “quente”. Há a suposição de que é lá que as coisas acontecem, que é lá onde Deus está agindo, que é lá onde o mover ocorre, enquanto que na igreja “fria” é onde o povo literalmente se esfriou e portanto, Deus não age mais ali. No entanto vemos que as coisas não são assim. Nas palavras do Apocalipse a crítica é à igreja morna, e não à igreja fria. A crítica é a uma igreja que não reconhece a sua situação, que se julga rica mas é pobre e que precisa dos conselhos de Deus para que volte a andar no caminho.
Assim como no estado sólido as moléculas estão próximas e conectadas umas as outras, assim também é o projeto proposto por Deus nas palavras da oração sacerdotal de Jesus descrita em João 17 “Para que todos sejam um”. Para que haja um estado sólido é preciso que as moléculas estejam unidas umas as outras, ao passo que no estado gasoso, para que ele se mantenha, é preciso completamente o oposto. É preciso que as moléculas se mantenham o mais afastado possível. Só assim elas poderão se manter no estado quente.
Particularmente, acredito que Deus preferiria uma igreja fria a uma igreja quente, pois na igreja fria há essa capacidade por parte das moléculas de se manterem unidas e isso é o que mais caracteriza esse estado. Uma vez que essa união se desfaz, o seu estado sólido desaparece. No caso do estado gasoso, quando essas moléculas começarem a se unir, elas perderão sua identidade de gás e se tornarão cada vez mais parecidas com o sólido.
Penso que na igreja há a necessidade de união ao invés da necessidade de expansão. Se atentarmos na oração de Jesus, o que Ele pede é que eles sejam um; isto é, que eles sejam como uma matéria onde suas moléculas estão unidas.
O texto de Apocalipse é um clamor pela busca de identidade. Nas palavras do próprio texto “ Melhor seria que você fosse frio ou quente”. O clamor, como foi dito, é pela identidade - se será frio ou quente - EU QUERO UMA IGREJA FRIA.