terça-feira, 17 de novembro de 2009

Boats


Desculpe-me se não consigo ser melhor nessa hora de extrema preocupação.


Desculpe-me se faltam as palavras que antigamente poderiam ser consideradas tão abundantes.


Me calo diante da dor que assola a todos nós nesses momentos que nos atingem de forma tão veemente, que vem sem explicar, que nos atormenta trazendo em si nada além da preocupação e da dor.


Quisera talvez poder estender minha mão e ser o braço forte que conduziria a todos para longe desse vale de sombras.


Quisera talvez poder saltar o abismo de dúvidas em que caímos e juntamente comigo trazer a esperança aos nossos corações abatidos.


Mas infelizmente a vida não é assim,


Há sempre algo nela que nos escapa, por mais que tentemos exercer nosso controle sobre ela, ela simplesmente se recusa a fazer as coisas como achamos que elas deveriam ser.


As vezes a morte nos rodeia, e juntamente com ela, nos vem o passado que as vezes nos atormenta, as vezes nos traz a esperança que nos falta nessas horas. Recorramos talvez o passado, se ele for desse segundo tipo, falemos como Jeremias da Lamentações:


"Quero trazer a memória aquilo que me traz esperança" (Lm 3:21)


Talvez esse seja nosso maior desafio nesse momento. Trazer a memória estas coisas. Deixar florescer a luz diante de nós.


Não digo para não sofrermos. O sofrimento é importante, nos ajuda a amadurecer, nos ajuda a ver a vida com outros olhos.


Calem-se pastores despreparados ! Não me venham com seus discursos ouvido de terceiros e que em nada se revela na prática de vocês.


Não penso que Deus queira ensinar nada pra ninguém nessa situação. Não acredito em um Deus cruel que usa as pessoas para ensinar outras sem levar em conta a primeira. Como sabemos, o homem nunca deve ser tratado como meio para nada, mas sempre como fim em si mesmo.


Não acredito em um Deus que agiria tendo o homem apenas como meio para algo.


Saiba que estou aqui. Preocupado também, mas tentando ser forte para que você possa ver em mim um auxílio, ver em mim um bom porto onde você possa descansar depois de velejar por essas águas que nesses dias estão turbulentas.


Tenhamos a esperança de que a bonança virá, e nos alegraremos ao ver nosso barco chegando ao porto.