quinta-feira, 25 de março de 2010

Queria ter uma varanda





Queria ter uma varanda.

Penso que se hoje tivesse uma, a noite seria mais agradável.
Poderia me sentar em uma cadeira confortável e observar o céu maravilhoso que se coloca sobre mim.
Clima fresco, céu negro sem nuvens. a lua brilhando, estrelas me fazendo voltar no tempo, uma estrela cadente.
Tudo isso vi hoje a noite enquanto sozinho na janela do meu quarto.

Quanto tempo não parava e observava o céu... O tempo vai passando e perdemos a capacidade de nos admirarmos com as pequenas coisas... Deixamos de ser filósofos (aquele que se admira com as coisas) e nos tornamos filógicos... (aqueles que só vêem com os olhos da razão, se tornaram cegos para se admirarem com as pequenas coisas)

Lá embaixo as luzes também brilhavam. Mas eram luzes das casas, sem graça, sem brilho. Televisões ligadas, computadores conectados e o céu maravilhoso ninguém via.

Talvez o sentimento de solidão seja o que me possibilitou olhar para o céu e contemplar sua beleza. As estrelas me fizeram boa companhia. Mesmo sabendo que talvez elas não estavam mais lá, mesmo assim elas foram minhas companheiras nesses minutos em que as observava pela janela do meu quarto.

Quem disse que uma companhia tem de estar presente para ser companhia? Quantas pessoas presentes não são companhias... Apenas estão lá, mas é como se não estivessem...

As estrelas me mostraram hoje que mesmo talvez ausentes, elas são boas companheiras. Sua luz que remonta a um tempo passado serviu para perceber que não estou só.

Percebi que assim como elas, meu passado também pode ser luz para outros, pude perceber com elas que nem sempre como aparentamos no momento seja o que realmente somos. Nem toda luz que parece brilhar ainda brilha, as vezes a única coisa que ficou foi o brilho do passado que ainda pode ser visto por outros.

Gosto de pensar nas estrelas. Talvez esta luz que vi hoje da janela do meu quarto seja a última que aquela estrela emitiu, talvez pouco tempo depois ela deixou de ser estrela...

Talvez na realidade a estrela já tenha morrido, virou um buraco negro, ou uma anã branca. Talvez. Mas mesmo assim sua luz continuou e hoje pude aprender algo com elas.

Queria ter uma varanda para poder passar mais tempo diante desse céu tão lindo que se mostra agora.