domingo, 11 de outubro de 2009

sobre o uso do Dimer.






Hoje pela manhã fui orientado sobre o uso do dimer.

Quem me orientou falou de forma bem direta: "Aqui, você está lançando muita luz nesse ambiente. Não consigo entender o porque esteja fazendo isso, é melhor usar um dimer, ajustar melhor a luz ao ambiente que você tem. Se quiser, eu te ajudo a fazer isso. Vamos re-formular a quantidade de luz que brilhará nesse ambiente para que ele fique mais agradável."

Achei a idéia maravilhosa. Sempre pensei que quanto maior a quantidade de luz, melhor. Estava errado. Mas graças a Deus fui orientado ao uso do dimer.

Para quem não sabe, o dimer é aquele aparelhinho que se usa no interruptor para regular a intensidade da luz do ambiente.

Excesso de luz muito rápido, faz mal, acaba atrapalhando de ver o que importa, e pode fazer com que a pessoa se sinta mal diante do ambiente.

O dimer serve para regular esse excesso de luz. Nem sempre muita luz é bom. O ambiente fica muito claro, as coisas que são melhores vistas com pouca luz ficam invisíveis sem o auxílio do dimer.

É preciso a quantidade de luz certa para que o que deve ser visto seja visto por quem queira ver.

Erramos ao tentar jogar muita luz sobre ambientes ainda pouco conhecidos, é bom que se conheça o ambiente para que se consiga ajustar o dimer de acordo com o que se quer mostrar.

Mostrar tudo de uma vez só não faz bem pra maioria dos ambientes.

Ah quantas vezes queremos lançar muita luz onde ainda não conhecemos todas as quinas. Daí erramos, damos más impressões e acabamos de vez em quando ofuscando ao invés de revelar.

Uma das virtudes que podemos ter é aprender a usar o dimer. Ajustar a luz ao tempo, ao espaço, ao momento. Tudo isso pode ser feito com ele.

Grande ferramenta na convivência uns com os outros é o dimer.

Acho que aprendi a usá-lo um pouco hoje.

Agradeci bastante a informação sobre o dimer. Aprendi talvez a beleza da penumbra em ambientes mais fechados.